Gripe H1N1 é tema de palestra no Dia Mundial de Higienização das Mãos

Em comemoração ao Dia Mundial de Higienização das mãos, a médica infectologista, Fátima Acioly, realizou na manhã desta quinta-feira (5) palestra sobre a gripe H1N1 no auditório do hospital para os profissionais da saúde.

Na abertura do evento, as enfermeiras da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) e da Educação Continuada do HSA, Cinthia Braga e Aline Bacelar, respectivamente, enfatizaram a importância da meta cinco na segurança do paciente. “O assunto tem tudo a ver. A lavagem das mãos é essencial para o manuseio do paciente e a meta 5, preconizada pela Organização Mundial de Saúde, traz justamente esse olhar. Promovendo a prevenção e o controle de infecções em todos os setores do hospital. Estamos buscando implantar um programa efetivo para higienização das mãos”, completou Aline Bacelar.
Em seguida, a palestra iniciou com um breve histórico de gripe pelo mundo, entre elas a espanhola, que ficou conhecida no início do século passado devido ao alto número de mortes. Na ocasião também foi um momento para dicas de prevenção e de como saber identificar a doença. “A gripe H1N1 é um resfriado piorado, pois existe o risco de complicações respiratórias”, explicou a infectologista do HSA, Fátima Acioly. Ainda de acordo com a médica, as formas de transmissão podem ser diretas e indiretas. “Por isso a importância de lavarmos sempre as mãos”, destacou.

Confira algumas medidas simples para evitar a transmissão da gripe:

-Lavar as mãos frequentemente com água e sabão, especialmente depois de tossir ou espirrar;

-Ao tossir ou espirrar, cobrir o nariz e a boca com um lenço descartável;

-Não usar medicamentos sem orientação médica. A automedicação pode ser prejudicial à saúde;

-Não compartilhar alimentos, bebidas, copos, toalhas e objetos de uso pessoal.

Vejas outras fotos–> https://goo.gl/O70qL8