IAPQ promove a Semana da Pessoa com Deficiência 

Os avanços e desafios dos 30 anos da Lei de Cotas, importante instrumento para a inserção da pessoa com deficiência no mercado de trabalho, foram debatidos durante a Semana da Pessoa com Deficiência, promovida entre os dias 24 e 26 de agosto, no Instituto de Cegos Antonio Pessôa de Queiroz (IAPQ), unidade mantida pela Santa Casa de Misericórdia do Recife.

O evento trouxe palestras de conscientização sobre inclusão, direitos e saúde, e contou com a participação de gestores, professores, alunos e ex-alunos do Instituto. No primeiro dia de atividades, a assistente de Gestão de Pessoas, Andrelly Afonso, e a professora e ex-aluna do IAPQ, Vitória Damasceno, ministraram uma palestra sobre os 163 anos da Santa Casa Recife e suas iniciativas de valorização e incentivo à pessoa com deficiência. De acordo com Andrelly, o maior objetivo é abraçar a causa não como um problema, mas, sim, como uma solução. “A gente não contrata os números e nem a deficiência, a gente contrata as pessoas e as atuações delas”, disse.

No segundo dia, a grade de programação contou com palestra do radialista e ex-aluno do IAPQ, Domingos Sávio, que abordou a importância, os avanços e os desafios dos 30 anos da Lei de Cotas para inserção no mercado de trabalho. Domingos aproveitou a ocasião e agradeceu a oportunidade de ter atuado como telefonista da Santa Casa que, segundo ele, foi um divisor de águas em sua vida. “Eu aqui, sentado na minha casa, conversando com vocês, isso rememoriza os momentos que passamos em nossa caminhada”, disse. “Eu sou ex-aluno da Santa Casa, onde estudaram eu e quatro irmãos cegos, vindos do interior. A gente teve oportunidade, nesta casa, de trilhar o caminho da vida, seja o caminho da educação, da cultura, do lazer. Nós estávamos no interior sem a luz do conhecimento, sem luz da educação”, completou.

A Semana da Pessoa com Deficiência encerrou com a participação do oftalmologista e geneticista Dr. José Ronaldo Lima, que falou sobre os cuidados que devemos ter com os olhos. De acordo com ele, uma das principais causas de cegueira na população brasileira e mundial é o erro refracional. “O fato de não usar óculos é uma das principais causas de cegueira, justamente por conta da população mais carente, que não tem acesso”, explicou. O oftalmologista celebrou a oportunidade de colaborar com o conhecimento e participar da Semana da Pessoa com Deficiência. “Grato por mais essa oportunidade de compartilhar informação e contribuir com o excelente trabalho da Santa Casa Recife e Instituto dos Cegos Antonio Pessôa de Queiroz”, disse.

A ex-gestora do IAPQ, a irmã Maria Gomes, participou do evento e elogiou a ação. “Parabenizo pela iniciativa e contribuição para essa Semana da Pessoa com Deficiência. Graças a Deus já tem avanço, já tem conquistas, mas tem um longo caminho a ser feito”, pontuou. De acordo com ela, o estudo funciona como um trampolim para conquistar o espaço social. “O grande papel do estudo é abrir a porta, é um meio transitório para a inclusão social. É preparar as pessoas para onde elas podem chegar”, disse. “O papel do IAPQ é conscientizar de que as pessoas podem, sim, que elas só tem o limite visual e que todos os outros potenciais podem ser usados. É resgatar e fazer a pessoa descobrir que pode e que consegue”, completou.

A ex-aluna e atual técnica brailista do IAPQ, Cristina Pereira, classificou como riquíssima” a troca de conhecimentos durante o evento e também destacou as oportunidades e o acolhimento que encontrou no Instituto. “Essa instituição é muito importante para nós. Quando eu cheguei, estava com a autoestima zero, e sai com a autoestima lá em cima”, disse. “Eu agradeço por ter conhecido o instituto. Hoje eu sou uma outra pessoa, eu só tenho a agradecer aos professores, ao Instituto e a todos”.

Em sua fala, a gerente de Educação e Assistência Social da Santa Casa Recife, Esmeralda Moura, defendeu que o direito à inclusão é fundamental para uma sociedade plena. A falta de olhar para o outro provoca a cegueira social”, frisou. Segundo ela, além dos desafios da não aceitação do direito do outro, a pessoa com deficiência se depara com outros problemas diariamente. “Eu falo que esses momentos são importantes porque ajudam a evidenciar coisas subterrâneas e fortalecem aqueles que batalham contra o preconceito”, completou.

A irmã Ana Tereza, gestora do IAPQ, agradeceu a todos os convidados e disse que a realização do evento é uma motivação a mais, em especial para os usuários do Instituto, que vivenciam, diariamente, todos esses desafios e celebram cada conquista. “Nós preparamos essa Semana com muito cuidado, respeito e carinho. Para nós foi um momento muito gratificante. Gratidão pela Santa Casa, pelo apoio, e a cada convidado que deu a sua contribuição”, concluiu.

Texto: Gabriela Santos / Comunicação Santa Casa Recife